Amazônia - Alter do Chão Amazônia - Alter do Chão Amazônia - Alter do Chão Amazônia - Alter do Chão

Amazônia - Alter do Chão

Apresentação

Localizada no coração da Amazônia, Alter do Chão com suas praias de águas mornas, doces e verde-esmeralda, impressionam tanto, que passou a ser chamada de “Caribe Amazônico”. Durante a seca do Rio Tapajós, afloram em suas margens, quilômetros de praias desertas que se encontram com a floresta exuberante dos parques e reservas extrativistas, que abrigam mais de 40 espécies diferentes de árvores e 24 comunidades tradicionais, produzindo um cenário paradisíaco e desafiador onde a natureza é imperativa.

Roteiro

1º Dia – Origem / Belém

Chegada em Belém a qualquer hora do dia, seguida de traslado e check-in no hotel escolhido. Consulte passeios opcionais.

Pernoite em hotel

Sem refeições inclusas

2º Dia – Conhecendo Belém

08h30 Após o café da manhã, começamos nosso passeio por Belém com visita ao Mercado do Ver-o-Peso , onde chegam, de todas as partes do interior do Estado, produtos extraídos da floresta e dos rios da Amazônia, um grande mosaico de cores, aromas e sabores amazônicos, tão característicos do Pará. Seguimos em caminhada pela Cidade Velha , para conhecer um dos acervos históricos e arquitetônicos mais ricos do país, passando pelas estreitas ruas onde a cidade começou, até o Complexo Feliz Lusitânia , que abriga Catedral da Sé, Igreja de Santo Alexandre e Museu de Arte Sacra, Casa das Onze Janelas, Forte do Castelo e Museu do Encontro, espaço que abriga peças e objetos que remetem aos primeiros moradores da cidade, além de peças de cerâmica marajoara e tapajônica, encontradas em sítios arqueológicos no interior da Ilha de Marajó e Região do Tapajós.

11h00 Seguimos para visita ao imponente Theatro da Paz , um remanescente da época áurea do ciclo da borracha. Durante boa parte do ano, recebe companhias de ópera e peças de teatro do Brasil e do mundo.

12h00 Do teatro, seguimos pela Av. Nazaré e Governador Magalhães Barata de passagem pela Basílica de Nossa Senhora de Nazaré – igreja que reproduz a Basílica de São Paulo, em Roma, construída em 1909 em homenagem à padroeira dos paraenses, que no mês de outubro percorrem as ruas de Belém na famosa procissão do Círio de Nazaré – até o Parque da Residência , antigos jardins da residência oficial dos governadores do Pará e orquidário com espécies amazônicas. Paramos para almoço no Restô do Parque (almoço não incluso), se puder, resista à sobremesa e vá até a Sorveteria Vagão, instalada a poucos metros do restaurante numa composição restaurada da antiga Estrada de Ferro Belém-Bragança. O vagão é uma festa de delícias preparadas a partir de frutas típicas como cupuaçu, murici, graviola e taperebá: não falta nem o sorvete de tapioca. Logo ao lado, galpões de ferro da antiga Companhia de Gás do Pará se transformaram na Estação Gasômetro, um espaço para exposições e um teatro de 400 lugares.

14h45 Vai chover! Em Belém, todos os dias, a essa hora, chove. Então, antes dos primeiros pingos, caminhamos uns poucos quarteirões pela Av. Governador Magalhães Barata até o Museu Zoobotânico Emílio Goeldi . É um passeio memorável, tanto no interior do Museu como, depois da chuva, pelas alamedas e pontes, rodeadas por mais de 800 espécies de plantas nativas, desde as de grande porte como o cedro e a samaúma até as delicadas vitórias-régias. A fauna inclui, entre mais de 600 animais, o guará, a jibóia, o peixe-elétrico e um simpático peixe-boi, que parece posar para as fotos.

16h00 O passeio continua em direção ao Mangal das Garças , parque ecológico que resultou da revitalização de uma área de 40.000m2 na margem do rio Guamá e que reproduz num espaço naturalístico as diferentes macro-regiões da flora amazônica: as matas de terra firme, as matas de várzea e os campos. Abriga o Farol de Belém, Borboletário, Museu Amazônico e o Mirante do Rio.

17h30 Fim de tarde na Estação das Docas , um enorme complexo cultural e de lazer instalado em galpões de ferro inglês do século 19, completamente restaurados, local com ótimas opções gastronômicas e programação cultural permanente, na margem da Baía do Guajará. Jantar e noite livres. Bom momento para você experimentar o chope de bacuri, um fruto típico amazônico, na cervejaria, e alguns pratos típicos da exótica culinária paraense.

20h00 Nosso carro estará aguardando para leva-lo de volta ao seu hotel. Se desejar permanecer mais tempo no local, recomendamos retornar ao hotel utilizando o serviço de taxis credenciados.

Pernoite em hotel

Café da manhã

3º Dia – Partida Para Marajó / Mirante De Joanes / Campos De Marajó

05h30 Traslado dos hotéis para o porto, seguido de embarque com destino a Camará, na Ilha de Marajó. A viagem é feita em embarcações tipicamente regionais, de características quase espartanas, com duração aproximada de três horas. Se desejar chegar a Marajó de avião consulte-nos. Durante os primeiros 45 minutos de viagem, você poderá observar a região das ilhas que circundam Belém, até o início da travessia da Baía de Marajó, formada pelas águas do maior Rio do mundo, o Amazonas, que nesta região é chamado de Rio Pará, e seus tributários.

09h30 Após a chegarmos à Ilha, seguiremos de carro pela PA-154 com destino à Soure, considerada a sua “capital” informal, onde faremos o check-in no hotel escolhido.

Antes, paramos na Vila de Joanes, local escolhido pelos portugueses para iniciar a colonização dessa região no século 17, para conhecer as ruinas do antigo convento e acessar o mirante natural sobre a falésia, de onde se tem uma visão panorâmica da Baía de Marajó.

Almoço livre.

De tarde, saímos para visita aos campos de Marajó, onde vamos observar espécies da fauna marajoara como maguaris, garças brancas e azuis, guarás vermelhos, mergulhões, patos selvagens e muitos outros. Com um pouco de sorte poderemos avistar macacos guariba (ou bugio) e capivaras muito comuns nessa região. Retornamos ao hotel após o por-do- sol. Noite livre.

4º Dia – Ateliê de Cerâmica e Couro / Caminhada Costeira / Caminhada Sob a Floresta Mangues / Passeio de Canoa / Montaria em Búfalos / Carimbó

Após o café da manhã, partimos para conhecer o entorno da cidade com paradas no Ateliê de Cerâmica Marajoara do Artesão Carlos Amaral , que reproduz peças baseadas na cultura Aruan, última etnia indígena a habitar Marajó; Ateliê de Couro (e curtume) , local de produção artesanal de artigos em couro, tradição transmitida por gerações, que ainda mantém características originais de produção; Ateliê do Artesão Ronaldo Guedes , que reproduz peças cerâmicas baseadas nas diversas etnias indígenas que habitaram Marajó, além de peças em madeira coletada nas praias e manguezais;

Em seguida, deixamos a cidade e seguimos para a praia da Barra Velha, onde visitamos a praia e os mangues, fazendo uma caminhada costeira até o banco de areia chamado Ponta do Garrote (somente na maré baixa). Almoço livre (não incluso).

De tarde, nos deslocamos até uma fazenda extrativista, onde viveremos uma experiência genuinamente marajoara, um passeio de canoa pelos furos e igarapés, na floresta de mangues até a praia. Na volta cruzamos a floresta de mangues caminhando sobre pontes plantadas na copa dessas árvores. Nosso retorno até a sede da fazenda será feito em montaria de búfalos, o maior animal da ilha, percorrendo um caminho através dos campos.

20h00 Jantar (não incluso) com apresentação de grupo folclórico, apresentando o tradicional ritmo do carimbó, dança de origem africana, trazida para a Ilha pelos antigos escravos (veja notas sobre o itinerário).

Pernoite em Hotel

Café da manhã

5º Dia – Partida para Santarém

Manhã livre para descanso ou programa opcional. Vamos nos preparar para deixar Marajó.

12h30 Após o almoço, saída da pousada para embarque de retorno.

17h30 Chegada a Belém no fim da tarde, seguida de traslado para o aeroporto e posterior embarque com destino à Santarém. Dê preferência aos voos que partem para Santarém entre 21h00 e 23h00.

Pernoite em hotel

Café da manhã

6º Dia - Lago Verde / Serra da Piroca / Ponta do Cururu

Chegada à Santarém durante a madrugada, seguida de traslado para o hotel em Alter do Chão, a 30 km de distância. Manhã livre para descanso. Almoço livre.

De tarde, passeio de lancha pelo Lago Verde , lugar de grande beleza natural de onde, segundo conta a lenda, os índios Borari, antigos habitantes da região, retiravam pedras para a confecção do muiraquitã, amuleto em forma de sapo. Durante a estação chuvosa, visitamos a Floresta Encantada do Caranazal - uma misteriosa floresta alagada. Durante a estação seca visitamos o Igarapé do Macaco – igarapé de águas cristalinas e principal nascente do Lago. Em seguida fazemos uma caminhada até o mirante da Serra da Piroca . No final da tarde seguimos pelo Rio Tapajós, até a Ponta do Cururu , onde assistimos ao pôr-do-sol, refletido no grande rio. É um bom momento para avistamento dos golfinhos de água doce, os botos, que costumam brincar neste lugar durante o cair da tarde. Retornamos a Alter do Chão ao anoitecer. Noite livre.

Pernoite em hotel

Café da manhã

7º Dia - Floresta Nacional do Tapajós

Logo cedo, saímos para visita à Floresta Nacional do Tapajós (FLONA) , uma reserva florestal de 600.000 hectares que abriga floresta primária, praias, comunidades tradicionais, igarapés e igapós. Na comunidade de Jamaraquá, um povoado que com aproximadamente 20 famílias, iniciamos nossa caminhada de 3 a 4 horas pela floresta, onde encontramos diversas árvores imponentes, de grande valor medicinal e alimentar para as comunidades locais, como o Piquiá e a gigantesca Sumaúma. Almoçamos na casa de uma família da comunidade de Jamaraquá. Após merecido descanso, saímos para mergulho livre (snorkeling) no igarapé de Jamaraquá, um aquário natural repleto de peixes e decorado com um jardim submerso. No meio da tarde visitamos Maguari, uma comunidade cuja economia é baseada na utilização sustentável dos recursos naturais da floresta, particularmente na produção de bolsas e outros produtos artesanais feitos do látex – o “couro vegetal” extraído das seringueiras. No fim da tarde retornamos a Alter do Chão.

Pernoite em hotel

Café da manhã

8º Dia – Retorno para a Cidade de Origem

Dia reservado para sua partida. Sua diária encerra ao meio dia. De acordo com o horário do seu vôo, saída do hotel e traslado para o aeroporto de Santarém, seguido de embarque com destino à sua cidade de origem. Fim dos serviços.

Sem pernoite incluso

Café da manhã

Atividades:

Caminhada, montaria em búfalos, canoagem regional, observação da vida selvagem, mergulho livre (snorkeling).

Nível de Conforto

Pouca adaptação necessária, mas pode-se ter alguma dificuldade em relação ao transporte enquanto estiver em Marajó. Em geral os itens de conforto da cidade estão presentes durante a maior parte da viagem.

Esforço físico

Fácil. É uma viagem fácil para qualquer pessoa, de qualquer idade e em boas condições de saúde. Embora as viagens não incluam longas caminhadas, os passageiros devem estar aptos a fazer embarque e desembarque em estruturas de acesso insipientes e estarem confortáveis em um programa moderado.

Impacto cultural

É uma viagem que destaca com ênfase, os aspectos culturais e de natureza, com tempo para nadar, relaxar e explorar os lugares a pé.

Duração: 8 dias

Nível de dificuldade – Moderado

Somente Terrestre
A partir de: R$ 4.640,00

Inclui

Não Inclui

(OP)

Video